Liderança em situações de estresse e burnout – pandemia COVID-19

Diante desta pandemia, empresas e instituições estão lidando com um novo cenário: profissionais submetidos a uma sobrecarga de estresse, tensão crônica de trabalho (burnout), alteração de rotina laboral e familiar, medo de contágio e de adoecimento.

Crises exigem engajamento e considerações além do negócio habitual. É essencial entender a situação:

  • Em quarentena ou isolamento social, pessoas reagem diferentemente, podendo haver impactos psicológicos.
  • Toda atividade envolve estresse. Se moderado, coloca a mente em alerta. Se excessivo, eleva a reatividade emocional e pode ser fonte de erros.
  • Crises podem acumular situações de estresse: da perda econômica à sobrevivência física.
  • Resiliência é a combinação da capacidade pessoal com o apoio do meio em que se vive.

O que fazer?

Gerenciar o estresse para torná-lo menos ameaçador.

  • Planejar – diante de uma situação cheia de incertezas é possível manter um planejamento. Melhor ter controle sobre algumas coisas do que não ter controle algum.
  • Agir – desencadeie uma rede de proatividade e colaboração, motivando todos a fazer o mesmo.
    Mantenha uma comunicação assertiva para gerar confiança.
  • Apoiar – norteie e ajude na organização das atividades, simplifique a execução de tarefas e evite retrabalho.

Burnout — autoavaliação para equipes

  • Preste atenção em situações de estresse e o que você pode fazer para corrigi-las.
  • Compartilhe emoções, experiências e bem-estar.
  • Defina limites para si mesmo diante das demandas do trabalho.
  • Priorize as tarefas, otimize, delegue ou compartilhe.
  • Aceite o que não pode ser alterado – nem tudo pode ser mudado.
  • Seja realista quanto às metas, nem sempre é possível realizar tudo em um curto prazo.
  • Cuide-se para poder cuidar dos outros.
  • Se os níveis de estresse aumentarem, procure apoio psicossocial ou de um superior.
  • Evite acrescentar tensão ao seu dia a dia e ao dos outros.

FONTE: Adaptado de “Conflict Sensitivity – Swiss Peace Foundation”

Além disso, em home office:

  • Crie uma rotina, delimite espaço e horários.
  • Faça pausas regularmente.
  • Fixe horários de reuniões virtuais com antecedência.
  • Seja compreensivo e participativo no convívio familiar.
  • Transforme as horas de deslocamento ao trabalho em tempo para tarefas domésticas, exercícios e lazer indoor.

A essência do papel do líder é justamente lidar com situações de crise:

  • Informe-se, analise racionalmente.
  • Use a expertise da empresa para apoiar clientes e fornecedores.
  • Imagine cenários realistas ao pós-crise, como: aprimorar serviços, reintegrar equipes, organizar as finanças e prospectar clientes.

Confie, mesmo que a situação se agrave. A melhor maneira como enfrentá-la cabe a cada um de nós.

 

Autora: Martha Sutter

Diretora da Comsut, consultoria em projetos educacionais e de comunicação.

Background educacional:

  • Business, Conflict & Peacebuilding course — Univ. de Basel / SwissPeace, Switzerland
  • Conflict Sensitivity at Work, e-learning — United Nations System Staff College, Italy
  • Conflict Sensitivity, online course — SwissPeace / Caritas, Switzerland
  • Dimensões da Cultura Indígena — Museu do Índio / FUNAI, Rio de Janeiro, Brasil
  • Design Estratégico — Istituto Europeo di Design, Rio de Janeiro, Brasil
  • Estudos Superiores em Sistema de Informação — Univ. de Genebra, Switzerland
  • Fundamentals of Finance and Accountig for Non-Financial Managers — Management Centre Europe, London, England
  • Licenciatura em Construção Civil — Univ. Federal do Ceará, Ceará, Brasil

 

Comments are closed.